Projeto Centro de Recuperação e Inserção Social – Arq. Gustavo Benvenutti

O TEMA: 
Cada vez mais, a tendência é tratar a pessoa presa com mais dignidade. Foi-se o tempo em que estabelecimentos penais serviam apenas para segregar e punir quem cometeu um delito.
É necessário trabalhar o lado psicológico do indivíduo, mostrar-lhe que ele é igual aos demais, e que terá uma nova chance de viver em sociedade.
A implantação de um estabelecimento penal diferenciado mostra à sociedade que aquelas pessoas estão dispostas a se redimir, trabalhar para o bem dos demais.
O Centro de Recuperação e Inserção Social “Canhanduba” é um estabelecimento penal alternativo, destinado a presos em regime semi-aberto (o condenado fica sujeito a trabalho no período diurno – interno ou externo ao estabelecimento – e é admissível o ingresso em cursos fundamentais e profissionalizantes). No estabelecimento proposto, o condenado – aqui chamado recuperandotem a chance de voltar ao convívio em sociedade através do uso comum de equipamentos, sem deixar de atender aos requisitos mínimos de segurança.
O PÚBLICO-ALVO:
Presos em regime semi-aberto, condenados por crimes leves e cumprindo penas curtas. A comunidade do bairro Canhanduba, que fará uso da infra-estrutura oferecida.
O OBJETIVO: 
– Educar o indivíduo para que tenha chances no mercado de trabalho;
– Estimular a sociedade a aceitar o detento, não como ex-presidiário, e sim como um igual;
– Integrar o estabelecimento penal com a comunidade vizinha e desenvolver a região, oferecendo mão-de-obra qualificada e infra-estrutura de lazer, saúde e educação.
A CAPACIDADE:
Conforme as recomendações de áreas mínimas das Diretrizes Básicas para a construção, ampliação e reforma dos estabelecimentos penais, o projeto foi dimensionado para oferecer 200 vagas.
CONCEITUAÇÃO E FORMA:
4
DIFERENCIAIS DO PROJETO:
6 7 8 9 10
  IMPLANTAÇÃO GERAL:
11
12 13
PERSPECTIVAS:
Bloco 1: Visitas Íntimas, Módulo Polivalente, Administração, Módulos de Agentes e Guarda Externa, Recepção, Saúde e Ensino
persp1 persp2
Bloco 2: Módulo de Vivência Coletiva, Armazenagem Agrícola e Visitas
5bloco2 bloco 2
Bloco 3: Restaurante, Módulo de Serviços (Cozinha/Padaria/Lavanderia), Atendimento Judiciário, Triagem e Inclusão e Galpão
persp. bloco 3persp bloco3
CLIMA E INSOLAÇÃO:
O clima de Itajaí é considerado úmido no inverno e seco no verão. A temperatura média anual é de 20ºC, sofrendo maior influência das massas de ar polar atlântica (mPa) e da massa tropical atlântica (mTa). Na área de intervenção, o clima é agradável, devido tanto ao vento proveniente do litoral quanto às poucas construções e grandes áreas verdes existentes. A insolação do terreno não sofre influência de nenhuma construção vizinha, sendo assim, a radiação chega com intensidade no local.
3

Arq. Gustavo Benvenutti

Brusque – SC
* Este é um projeto de Centro de Recuperação e Inserção Social “Canhanduba”, idealizado como trabalho de conclusão de curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Regional de Blumenau, pelo Arq. Gustavo Benvenutti, sob orientação de Guido Paulo Kaestner Neto. Textos e imagens retirados das pranchas de apresentação cedidas por Luiz Gustavo Benvenutti de Oliveira, por email, em 24 de agosto de 2012.
Todos os direitos reservados.

9 de setembro de 2013


Nenhum comentário (0)
© 2010 Érika Sun Consultoria em Arquitetura Prisional • Todos os direitos reservados